6 de junho de 2009





Poeta, poeta...

Fantasie-se de palhaço.

Leve o riso e esconda o choro.

Torne-se o que acredita.

Acredita no riso do outro.

Aprenda a fazer rir.

Ria com quem aprendeu.

Não aspire imortalidade

E não viva sem dualidades.

Todo palhaço é santo

E todo santo tem seu dia de palhaço.

Todo poeta é louca

E toda loucura tem sua poesia.

Viva de fantasia

E viva no mundo real.

Realidade não mata

Mas é fantasia que oferece prazer.

Viver é zombaria

Mas fantasia é sempre de morrer.

Poeta palhaço louco...

Divida o seu dia:

Nem borboleta nem minhoca.

Apenas flutuante, meio desviante

E com certo talento pra andar sob a terra.



"O coração tem que se apresentar diante do Nada sozinho e sozinho bater em silêncio de uma taquicardia nas trevas." (Clarice Lispector)

Por Laila Braga 22:00

|








0 Comentários:

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

Links para esta postagem:

Criar um link